Walfrêdo Rodriguez Neto

Walfrêdo Rodriguez Neto nasceu em João Pessoa, em 29 de maio de 1956. Na infância, viveu com a família em Pombal (no Sertão) e Areia (no Brejo), retornando, em seguida, para o lugar de origem, onde sempre viveu com ânimo de permanência definitiva. Neto de escritor e filho de bancário, despertou para as letras quando conheceu, no final da primeira infância, a coleção "O Thesouro da Juventude".

Formado em Direito e Administração, o escritor é neto de Walfredo Rodrigues, escritor, fotógrafo, teatrólogo e cineasta, cujo trabalho é considerado um patrimônio histórico da cidade. E a influência desse avô é clara em suas obras.

Livros:

-Palavras Dançarinas:
Um mosaico de temas. É assim que Walfredo Rodriguez Neto define seu livro. Palavras Dançarinas reúne 91 crônicas sobre assuntos como saudosismo, fatos do cotidiano, a arte de escrever, relacionamentos e mulheres. A edição é uma produção independente, com 220 páginas. O escritor é neto de Walfredo Rodriguez, escritor, fotógrafo, teatrólogo e cineasta. A influência do avô é clara na decisão de Walfrêdo Rodriguez Neto, formado em Direito e advogado por muitos anos, em abraçar uma carreira na arte.

-A Cidadela dos Felizes
Além das montanhas do norte, um monge sofria tenaz resistência de um de seus discípulos, que acreditava que o maior tesouro do mundo era a felicidade pessoal. Também acreditava o discípulo que quanto mais se adquirisse conhecimento de si mesmo e do mundo, mais difícil seria o encontro com a felicidade. Em sua filosofia, concluiu que quanto mais se ignorasse a respeito dos males do mundo e das imperfeições do espírito, a vida se tornaria mais simples, e mais fácil se chegaria à felicidade. Um dia, o monge convidou esse discípulo para uma viagem rumo a uma terra distante, a fim de que ele pudesse conhecer um lugar onde, há muito tempo, seus habitantes estipularam que deveriam perseguir a felicidade pessoal. Ao chegarem ao vale onde se podia avistar a cidade, viram uma placa: “A cidadela dos felizes”. O monge , então, disse ao discípulo: “Só retorne quando estiver se tornando um mestre”. O discípulo alegrou-se com tão fácil tarefa e ali o monge o deixou. A partir desse dia, o discípulo foi se iluminando, tão logo tendo começado a se tornar um mestre, quando conhecera em toda a sua propriedade a cidadela dos felizes.


Um comentário:

  1. WALFREDO RODRIGUEZ NETO28 de outubro de 2011 11:05

    Como autor dos Livros referidos, tenho que fazer alguns consertos.
    Primeiro, sou formado em Direito, mas não em Administração.
    SEGUNDO, a síntese colocada no livro cidadela dos felizes nada tem a ver com o que fora escrito. DEVE SER DE OUTRO LIVRO.

    Walfredo Rodriguez Neto

    ResponderExcluir

^